segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

...

Às vezes eu escrevo.
Às vezes eu apago.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Amor, que porra é essa?

Sempre seguir as palavras do meu mestre poeta Drummond:
PALAVRA AMOR

NÃO FACILITE COM A PALAVRA AMOR.
NÃO A JOGUE NO ESPAÇO, BOLHA DE SABÃO.
NÃO SE INEBRIE COM SEU ENGALANADO SOM.
NÃO A EMPREGUE SEM RAZÃO ACIMA DE TODA A RAZÃO (E É RARO).
NÃO BRINQUE, NÃO EXPERIMENTE, NÃO COMETA A LOUCURA SEM REMISSÃO DE ESPALHAR PELOS QUATRO VENTOS DO MUNDO ESSA PALAVRA QUE É TODA SIGILO E NUDEZ, PERFEIÇÃO E EXÍLIO NA TERRA.
NÃO A PRONUNCIE.

Mas de repente, não mais do que de repente a procunciei. Quando percebi já a tinha dito, e agora José? Como faço? Volto atrás? À todo momento tento voltar atrás. Não quero sentir, não quero sonhar, não quero...
Mas Quero, quero sentir, quero sonhar, quero resignificar a palavra AMOR.
Quero resignificar para o outro, para que o outro, que tanto já a pronunciou a resignifique, a reestruture...
Sofro por amar, apesar de acreditar que amar não é Sofrer.
E ai me pergunto: será amor? ou será somente vaidade?
Me recolho diante da minha dúvida, do meu sentir, dos meus ciúmes, do meu EU.

E ai me lembro de outro poeta que disse: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã", mas para Amar é preciso dizer?
As palavras me incomodam, o dizer me incomoda.

Será que vale a pena? Logo eu que sempre achei que sempre valia a pena.
Talvez só valha a pena com pena de alguém.
Talvez o amor só exista para nos mostrar o quão NADA somos diante de tudo.

Eu que sempre caminhei solitária, sem grupos, sem rótulos, sem tribos.
Eu que sempre caminhei acompanhada da razão, dos pensamentos, da canção.
Por onde irei caminhar agora?
Agora que Sou um Nada à procura de Tudo.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Futuro

Lançar-se-á
Como a fumaça que se lança ao vento

Ir-se-á
Como a água que escoa pelo bueiro

Encontrar-se-á
Como o amanhã que já nasceu

Presenciará
Presenciei
Presencio

Exalar-me-ei
Pelos cantos dos muros derrubados

Recado Dado

Hoje aprendi...


Hoje aprendi que devagar é mais rápido.

Pra Rosa



Rosa que desabrochou no meu jardim

Jardim do cerrado
Terra seca
De árvores tortas
de folhas secas

Desabrochou

Rosa que desabrocha
em meio aos Ipês
após o cantar das cigarras
antes do cheiro de jasmim

Surge meio ao Pôr-do-sol
Em-Pôr
Com-Pôr
IM-PÔR

Rosa do meu horizonte
Em meu horizonte
Ao horizonte

domingo, 7 de dezembro de 2008

SerMulher

video

Elisa Lucinda

Aviso da Lua que Menstrua


Moço, cuidado com ela!
Há que se ter cautela com esta gente que menstrua...
Imagine uma cachoeira às avessas:
cada ato que faz, o corpo confessa.

Cuidado, moço
às vezes parece erva, parece hera
cuidado com essa gente que gera
essa gente que se metamorfoseia
metade legível, metade sereia

Barriga cresce, explode humanidades
e ainda volta pro lugar que é o mesmo lugar
mas é outro lugar, aí é que está:
cada palavra dita, antes de dizer, homem, reflita...

Sua boca maldita não sabe que cada palavra é ingrediente
que vai cair no mesmo planeta panela.

Cuidado com cada letra que manda pra ela!
Tá acostumada a viver por dentro,
transforma fato em elemento
a tudo refoga, ferve, frita
ainda sangra tudo no próximo mês.

Cuidado moço, quando cê pensa que escapou
é que chegou a sua vez!
Porque sou muito sua amiga
é que tô falando na "vera"
conheço cada uma, além de ser uma delas.

Você que saiu da fresta dela
delicada força quando voltar a ela.

Não vá sem ser convidado
ou sem os devidos cortejos...
Às vezes pela ponte de um beijo
já se alcança a "cidade secreta"
a Atlântida perdida.

Outras vezes várias metidas e mais se afasta dela.
Cuidado, moço, por você ter uma cobra entre as pernas
cai na condição de ser displicente
diante da própria serpente.

Ela é uma cobra de avental.

Não despreze a meditação doméstica.

É da poeira do cotidiano
que a mulher extrai filosofia
cozinhando, costurando
e você chega com a mão no bolso
julgando a arte do almoço: Eca!...

Você que não sabe onde está sua cueca?

Ah, meu cão desejado
tão preocupado em rosnar, ladrar e latir
então esquece de morder devagar
esquece de saber curtir, dividir.

E aí quando quer agredir
chama de vaca e galinha.

São duas dignas vizinhas do mundo daqui!

O que você tem pra falar de vaca?

O que você tem eu vou dizer e não se queixe:
VACA é sua mãe. De leite.

Vaca e galinha...
ora, não ofende. Enaltece, elogia:
comparando rainha com rainha
óvulo, ovo e leite
pensando que está agredindo
que tá falando palavrão imundo.

Tá, não, homem.

Tá citando o princípio do mundo!

Cuidado!




COMO NOS VEMOS? NOS VEMOS?

video

COMO NOS VÊEM? NOS VÊEM?

sábado, 6 de dezembro de 2008

Desatina x Reativa

A fortiori


"Língua é um sistema de significação de idéias que desempenha um papel central no modo como concebemos o mundo e a nós mesmos" (Pennycook,1998)
"Uma vez que a língua é entendida em termos dos discursos concorrentes, dos modos concorrentes de atribuir significado ao mundo, os quais implicam diferenças na organização do poder social, então a linguagem se torna um lugar importante de luta política" (Weedon, 1987 in PennycooK, 1998)
"As disciplinas podem ser consideradas como ondas que avançam separadamente mas se misturam quando chegam à praia...Como acontece com o mar, pode haver tempestades, maremotos e também calmarias" (Sommerville, 1993 in Celani, 1998).
"@ pesquisador@ transdiciplinar, mais do que qualquer outr@, é um/a nômade, um/a rei/rainha sem reino" (Faure, 1992 in Celani, 1998)"Quanto a ser nômade, sim, se isto significar liberdade, amplitude de ação, mas nunca se significar falta de direção...Quanto a ser rainha sem reino, pergunto-me: há lugar para reinos no domínio do saber" (Celani, 1998)
DIXI!!!

Toca Raul

Meu sofrimento é fruto do que me ensinaram a ser
Sendo obrigad@ a fazer tudo mesmo sem querer
Quando o passado morreu e você não enterrou
O sofrimento do vazio e da dor
Ficam ciúmes, preconceitos de amor

E então, e então

É preciso você tentar
Mas é preciso você tentar
Talvez alguma coisa muito nova possa lhe acontecer

Minha cabeça só pensa aquilo que ela aprendeu
Por isso mesmo, eu não confio nela eu sou mais eu
Sim... pra ser feliz e olhar as coisas como elas são
Sem permitir da gente uma falsa conclusão
Seguir somente a voz do seu coração

E então, e então

E aquela coisa que eu sempre tanto procurei
É o verdadeiro sentido da vida
Abandonar o que aprendi parar de sofrer
Viver é ser feliz e nada mais